Aumentar Tamanho do Texto Tamanho do Texto Selecionado
HOME
Clique em um dos links abaixo
DESENVOLVIMENTO DA VISÃO
CONJUNTIVITES
ALERGIAS
TOXOPLASMOSE
RETINOBLASTOMA
DOENÇAS INFECCIOSAS
AMBLIOPIA
CATARATA CONGÊNITA
GLAUCOMA CONGÊNITO
VISÃO SUBNORMAL
MÁ-FORMAÇÕES
LACRIMEJAMENTO
Clique em um dos links abaixo
PRINCIPAIS PROBLEMAS
RETINOPATIA DA PREMATURIDADE
EXAMES OCULARES
CIRURGIAS OCULARES
NOTÍCIAS
ARTIGOS - VOCÊ ESTÁ AQUI
APRESENTAÇÃO A MÉDICA FALE CONOSCO ACESSO
Artigos

Quando devo levar meu filho ao oftalmologista?

28/10/2009 - Não existe uma resposta padrão para esta pergunta, mas o ideal é fazer o primeiro exame entre o terceiro e o sexto mês de vida do bebê e depois manter uma visita regular ao oftalmopediatra de seis em seis meses até os dois anos de idade. Após o segundo ano, é aconselhável uma visita anual.

Este é um esquema padrão para criança saudáveis, que pode variar conforme os resultados dos exames.

O que se examina numa criança tão pequena e que não participa ativamente da consulta?

O oftalmopediatra observa tudo. Postura, desenvolvimento neuropsicomotor, simetria facial, aspecto externo dos olhos (posição ocular, ptoses, etc.).

Mesmo bebês recém-nascidos já podem ser submetidos aos exames de refração com régua ou lentes de caixa de prova, de mapeamento de retina e observação da transparência dos meios. Caso o médico suspeite de qualquer irregularidade, pode solicitar um exame de avaliação da função visual e acuidade através do exame de Teller.

Tratando-se de bebês com poucos dias, o profissional pode optar por realizar o exame de refração numa segunda visita, caso os pais se comprometam a retornar. Desta forma, evita-se a exposição prolongada do bebê ao ambiente público.

Sendo positivos os resultados dos primeiros exames, o oftalmopediatra irá reavaliar a criança depois de seis meses.

Por que é importante solicitar todos os exames?

Porque eles detectam diferenças significativas de refração (grau) que levam ao desenvolvimento da ambliopia.
Porque eles detectam doenças como o estrabismo congênito e a catarata, que são problemas visuais tratáveis, mas que levam à ambliopia e até mesmo à cegueira quando não são diagnosticados a tempo.
Identificam casos severos (tumores e retinoblastoma), podendo poupar a visão do olho comprometido ou até mesmo salvar a vida da criança nas doenças mais agressivas.
Com o resultado dos exames realizados é dada a oportunidade de tratamento nos casos em que algum problema foi identificado.
Evitam o baixo rendimento escolar causado por problemas oftalmológicos.
Estabelecem a cultura da prevenção. O organismo infantil está em constante desenvolvimento e nem todas as doenças manifestam-se nos primeiros meses de vida.

Idades-chave para exames e possíveis diagnósticos:

Entre 3 a 6 meses - problemas relacionados ao desenvolvimento, má formação.
Entre 2 a 3 anos - problemas relacionados ao desenvolvimento, má formação, estrabismo, anisometropia.
Entre 6 a 7 anos - erros refracionais que podem impedir o bom resultado escolar no início da alfabetização.
Entre 12 a15 anos - aparecimento de miopia mesmo nos indivíduos que não tinham o problema.

Veja também:

A importância do Teste do Olhinho.

A visão nos primeiros meses de vida.



Imprimir  












28/10/2009 - Quando devo levar meu filho ao oftalmologista?










O conteúdo deste site tem fins informativos e não pretende
substituir a consulta ou tratamento oftalmológico
Política Copyright Sitemap Sintonia Comunicação